sábado, fevereiro 23

5 MINUTOS SOLIDÁRIOS COM O PLANETA


Solidário com o meu filho, renovando a crença nas causas justas, em nome do futuro das novas gerações, participo nesta campanha e peço a sua divulgação.
.
No dia 29 de Fevereiro de 2008 das 19:55 às 20:00 horas propõe-se apagar todas as luzes e se possível todos os aparelhos eléctricos, para o nosso planeta poder 'respirar'. Se a resposta for massiva, a poupança energética pode ser brutal. Só 5 minutos, para ver o que acontece. Sim, estaremos 5 minutos às escuras, podemos acender uma vela e simplesmente ficar a olhar para ela, estaremos a respirar nós e o planeta. Lembrem-se que a união faz a força e a Internet pode ter muito poder e podemos mesmo fazer algo em grande. Passa a notícia, se tiveres amigos a viver noutros países envia-lhes e pede-lhes que façam a tradução e adaptem as horas.
.

2 comentários:

Luís Bonifácio disse...

Esse mail circula pela net, há alguns anos e é obra de idiotas irresponsáveis.


Na realidade esse acto pouparia muita energia. Passaríamos a gastar ZERO. Pois a electricidade é como uma barragem ligada a um canal de irrigação. Se todos os regantes fecharem as "torneiras" o canal enche e e transborda, a barragem enche e transborda. Com os transbordos morrem pessoas e depois, quando os regantes voltarem a abrir as torneiras, nunca mais correrá água pois o canal foi destruído, bem como a barragem que o alimentava.

Na electricidade é quase igual, apenas com uma diferença. O transbordo e a destruição de todas as linhas eléctricas e meios de produção a nível global demoraria apenas uns 5 minutos. Depois nunca mais haveria electricidade, o que a curto prazo significaria a morte de pelo menos 4.5 biliões de pessoas (antes da electricidade viviam no mundo todo 1.5 biliões de seres humanos. Hoje vivem 6 biliões)

eduardo graça disse...

Deixe lá que o apelo corra que, apesar dos seus grandes números, estas campanhas de "idiotas irresponsáveis" servem para, à luz clara, estimular o debate acerca das estratégias para a sobrevivência do homem.