quinta-feira, julho 8

O GOLO (POLÍTICO) DE SÓCRATES
























Edward Ranney

.

2 comentários:

Galeota disse...

... e não foi de pontapé de canto.

Vicente disse...

Meu caro Graça. Eu não sei bem se foi um golo sentido ou se foi uma questão de marketing político. Vejamos, é do interesse nacional que certas empresas sejam controladas pelo Estado, os tais chamados centros de decisão, como a Galp, a EDP e a PT por exemplo. Mas então porque as privatizaram? E porque privatizaram ficando o Estado com um pequeno bloco de acções residuais? Será que a PT (que tem implicações com as comunicações de todas as forças militares e para-militares) defende o interesse nacional quando mais de 70% do seu capital é dominado por estrangeiros? Que com o beneplácito do Estado Português mantenha das mais altas tarifas da Europa de acesso à banda larga? É isto do interesse nacional? Ou que a EDP tenha um quase monopólio? Ou que a Galp tenha margens de lucro mais altas em Portugal do que nos seus postos em Espanha? Para além dos impostos! Não vejo o interesse nacional em pagarmos mais. Aceitaria o facto se a empresa fosse do Estado, mas de facto não são.