terça-feira, março 22

DIA MUNDIAL DA POESIA (ONTEM)



MEU POEMA

Meu poema é um silêncio aceso
que me alumia o caminho da fala
e se derrama na palavra escrita
à mão teclada ou manuscrita

Meu poema só existe quando escapa
ao exacto momento que o suscita
e nada mais tem para dizer
senão o que a própria mão lhe dita

[In 25 Poemas escritos, a lápis, entre Novembro de 2007 e Março de 2008, nas páginas do livro “Toda a Poesia”, de Ferreira Gullar, 15ª edição, José Olympio, Editora.]
.

3 comentários:

Galeota disse...

Leve, breve, suave/Um canto de ave/...

galgata disse...

Me gusta!! sencillo y dulce... y hasta yo puedo entenderlo :)

Te mando un gran saludo, es lindo ve que sigues escribiendo!! (o compartiendo escrituras)...!

MP.

Rosa Afonso disse...

Ouvi. Li. E adorei. Às vezes, a poesia me salva; às vezes, me perturba,... ; mas sempre me convoca. Como seria o mundo sem poetas?

Um abraço