segunda-feira, agosto 25

agosto - dia 25


Passam hoje 70 anos que Paris foi libertada da ocupação nazi. É uma data longínqua e simbólica mas apetece-me lembrá-la a traço grosso. Nesse dia (talvez noite) Albert Camus escreveu um notável editorial para o jornal Combat, órgão da Resistência, intitulado: LA NUIT DE LA VÉRITÉ que começa assim: 

Tandis que les balles de la liberté sifflent encore dans la ville, les canons de la libération franchissent les portes de Paris, au milieu des cris et des fleurs. Dans la plus belle et la plus chaude des nuits d’août, le ciel de Paris mêle aux étoiles de toujours les balles traçantes, la fumée des incendies et les fusées multicolores de la joie populaire. Dans cette nuit sans égale s’achèvent quatre ans d’une histoire monstrueuse et d’une lutte indicible où la France était aux prises avec sa honte et sa fureur. (...)

70 anos é muito tempo e são já uma minoria os contemporâneos desse acontecimento marcante da nossa história contemporânea. Mas nada é mais importante do que celebrar a liberdade e os acontecimentos que a evocam em toda a sua força telúrica. Desde esse dia, passaram 70 anos, a Europa tem vivido um longo período de paz que somente hoje, no tempo que é o nosso, está verdadeiramente em perigo.  

2 comentários:

manuel pereira disse...

Camus,pois claro. E Mitterrand e a francisca? A mistura das tendências conduz,hélas, a Hollande e quejandos...

eduardo graça disse...

Não há qualquer mistura de tendências. Simplesmente uma evocação da data simbólica da derrota do nazi fascismo e, ao mesmo tempo, uma reafirmação do combate a todos os totalitarismos que a obra e acção de Camus inspiram.