domingo, agosto 5

FARO - LUTAR CONTRA O ESQUECIMENTO

A cidade de Faro é pequena, apesar de ser capital, pois se esventrou o centro deserto de residentes e de comércio. Nunca aconteceu não a ter visitado, e nela ter permanecido, ao menos uns dias, no verão desde que dela parti. Sinto o seu cheiro especial, cuja fragância retenho desde a infância, conheço as suas ruas, uma a uma, tal como os seus lugares, até os seus rostos (cada vez menos); vivi muitos anos na rua Emiliano da Costa, percorro com frequência a Rua de Portugal, onde nasceu Gastão Cruz, instalo-me na Rua João Lúcio, todos nomes de poetas algarvios. Grandes poetas que, salvo Gastão Cruz, nosso contemporâneo, foram esquecidos. O esquecimento é uma máquina infernal. Escrevo contra o esquecimento.

1 comentário:

Professora Márcia Regina disse...

" Para que tudo não se desmanche no ar".
Escrevo (tento)também contra o esquecimento.