sábado, agosto 11

"Há rostos ...

Comprei ontem dez livros (edições portuguesas) de Albert Camus a um alfarrabista que faz venda de rua aqui na esquina – de seu nome Simões. Alguns deles não tinha como é o caso da edição dos “escritos de juventude” (tomo II) da qual respigo – com dedicatória – este excerto de “O PÁTIO”, In Notas de Leitura (Abril de 1933):

“Há rostos que se casam estreitamente com uma parte inteira dos nossos impulsos e com os quais comunicamos tão bem desde o princípio, que se torna impossível pensar séria e justamente diante deles, mas unicamente falar docemente, silenciosamente, utilizando palavras gastas e baças, às quais só o sentimento de uma íntima cumplicidade confere um novo valor”.

2 comentários:

Miguel Pestana disse...

Já leu "O Estrangeiro" de Camus?

Não li nenhum livro do autor e queria começar por esse, pois tenho lido opinioes fabulosas sobre essse titulo.

eduardo graça disse...

Meu caro:
Se estiver interessado em ler Camus existem, em regra, nas livrarias alguns títulos disponíveis: O Estrangeiro e recomendo também A Peste e A Queda.